domingo, 20 de maio de 2007

Fujo

Os olhos pesam-me, a pintura de vários dias amanhece assim, arroxeada, esborratada... odeio isto!
Os meus dias repetem-se, arrastam-se. Que raio faço aqui?... merda!
Não sei quem é esta que vive no meu corpo, que permite a maquilhagem! Sei que estou escondida em mim, preservando a menina que fui, aquela linda, a dos totós que sonhava com o príncipe! Eu não sou esta que agora aqui mora... não posso ser... recuso-me a ser...
A mão sobe-me até ao rosto, estou demasiado velha... alguém me cortou os cabelos, me tatuou a pele e ela deixou... essa fraca que me ocupou o corpo permitiu. Odeio-a tanto que sou capaz de a matar! Não sei quando fui invadida... sei só que nunca fui conquistada... estive a reunir forças, a traçar estratégias, e hoje vou reaver-me na calada da noite, enquanto dorme... hoje fujo...
A carne dorida que tenho em volta dos ossos, não a conheço... o que recordo são as pernas longas, os braços esguios a barriga lisa... esta coisa dorida que me desforma não é minha, apenas a máscara que alguém me impôs... vou pôr mais betume... desse que disfarça... desse que usei em tempos para me sentir bonita e que agora uso para esbater as novas cores com que me pintam...
Dói-me o corpo, mas a maior lesão foi feita na alma... foi sentir-me usada, ultrajada, destituída de todos os sonhos... não foi a juventude que me roubaram... foram os sonhos da vida que tive antes desta, no tempo em que acreditava nos outros, o tempo em que não sabia o que eram os olhos a baixarem-se à minha passagem... o que me dói é ter ficado invisível... o que me dói é a solidão!
Hoje é o meu ultimo dia aqui... hoje, haja o que houver eu fujo...

37 comentários:

arminho caixeiro disse...

Gostei, não do tema obviamente, mas da forma como construiste este texto... percebe-se o desespero, o sofrimento que provoca desorientaçao (sente-se isso, uma enorme duvida nela/e), adoro a forma como colocas emoções naquilo que escreves... és brilhante... excitante...

Anónimo disse...

amei................................................................................................................anda ........es ....mais que excitante...........tens td................

Pepe Luigi disse...

Fenomenal esta tua construção de palavras contidas numa auto-narração brilhante!
Parabéns.

Bjs.

Vladimir disse...

não vale a pena fugir...simplesmente maravilhoso...

GK disse...

Cruzes! Brutal!
Parabéns!

Marta disse...

Arminho Caixeiro,

A tua imaginação para nomes só pode ser comparável ao bom gosto... desta vez excedeste-te!... :)))
Qt ao texto, ainda bem que gostaste, o assunto, ou os assuntos, pq dependendo da interpretação podem ser vários, é daqueles que as pessoas preferem mtas vezes ignorar... ontem escrevi este texto, pq me apeteceu lembrar que o mundo não é lá mt cor de rosa... tem tb tons de roxo...
Obrigada pelas palavras, sabes que gosto de te ouvir... obrigada... mas excitante? É como já disse ao Bono (ou pensei :S), vcs excitam-se com pouco! :D

Beijo.


Bono,

Obrigada!
Ainda bem que gostaste do texto, tenho curiosidade em saber como o leste, em saber qual foi a história que me ouviste a contar... apostaria que cada um que lê tem uma interpretação, provavelmente até diferente da(s) minha(s)... qual é a tua?

Beijo.


Pepe,

Obrigada... fenomenal é mt mais do que mereço... mas confesso que gosto do texto, penso que passa um pouco da realidade de muitas mulheres... infelizmente! Mulheres sem voz, sem rosto... invisíveis!

Beijo.


Vladimir,

Bem vindo aqui ao confessionário, volta sempre que queiras.
Este texto de hj é bastante diferente dos habituais, mas no fundo é mt igual... fala de sentimentos. Eu falo quase sempre de sentimentos... meus ou não... este, felizmente não o conheço na primeira pessoa. Mas a revolta que sinto por ele existir é enorme!
Obrigada.

Beijo.


Gk,

Obrigada! Fico contente que tenhas gostado, pelo que leio de ti e pelo facto de seres Mulher, acredito que este tema te enoje tanto a ti como a mim! Tlv se falarmos mais nele, se fecharmos menos os olhos a realidade melhore...
Não sei o q posso fazer, mas sei que gostaria de fazer algo...

Beijo.

Mina disse...

Dá que pensar este teu texto... Gostei da estrutura escolhida, que demonstra a desordem em que muitos vivem, permanentemente insatisfeitos e em busca do que não alcançam :)
Bjs, boa semana!

Marta disse...

Mina,

Que bom que achas que o meu texto dá que pensar... ele foi escrito em grande parte para isso, para que quem o lê pense...
Eu tenho pensado... não sei bem quem ela é... pode ser a dona de casa de 50 anos, a jovem mãe de 20, a toxicodependente, a prostituta... ela pode até ser um homem... penso que como o texto não especifica nada, a não ser a violência, ela pode ser tudo e todos! Tu leste quem? Julgo que nenhuma das que falei agora :)
Pensemos então...

Boa semana.

Beijo!

bublicious disse...

Há dias assim, menos bons.... e depois... depois vêm os ''mais'' bons :)

bjnh grd

Cátia disse...

Minha querida,

Ontem já tinha lido este teu texto, como dizes, na diagonal e mesmo assim tinha gostado imenso... Hoje lio com todas as palavras e ideias, li as linhas mas li tb as entre-linhas... O coração apertou-se!! O texto está fenomenal, mas a ideia que transmite... essa não... essa não é assim tão bela.

Sei que muitos não chegarão a sua mensagem, talvez este assunto merecesse que o gritasses com todas as palavras, porque muitos nao verão e outros fingirão nao ver (tal como na vida real as pessoas o fazem à "tua" passagem).

Os sonhos são facilmente destruidos pela brutalidade de alguem... alguem que amamos e que sempre pensamos que mudará... mudará hoje ou amanha mas mudará. Hoje prometeu que seria a ultima vez, veio, chorou implorou... e prometeu que iria ser diferente. Mas nunca é....... A fuga desta vida e a procura de uma vida melhor é a melhor solução... talvez a unica para alem da morte.

O roxo é sinal, é sintoma, é causa e consequencia. A dor é apenas um reflexo... nao tanto fisico mas mais psicologico sim... a dor da alma é a mais profunda e vincada... é provavel que nao passe nunca.

Mtas outras palavras tenho para dizer.. ficarao comigo, ou para mais tarde... Obrigada por tocares neste assunto sensivel que todos preferem ignorar.

Beijinhos grandes e aquele abraço apertado

Marta disse...

Bublicious,

Eu gostava de acreditar que todas estas mulheres de que falo no texto, terão dias "mais" bons... sei que algumas terão, pela força e coragem que ainda mora nelas, mas sei que a maioria acaba vitima de uma brutalidade maior...

Beijinho grande!


Cátia,

Eu Tinha 2 formas de abordar o assunto, uma era esta e a outra era a asneirar... preferi esta, embora confesse que me apeteça dizer uns "filhos da puta", "ordinários", "animais", "montes de merda", etc, etc, etc...

Dizes no teu comentário, que a fuga é provavelmente a única solução além da morte... repara que ela diz que haja o que houver foge, que ela diz que odeia tanto a "fraca" que lhe ocupou o corpo que seria capaz de a matar...
Tlv ela tenha um plano B para a fuga, tlv ela faça o q infelizmente tantas e tantas já fizeram... tlv ela fuja morrendo...

Obrigada por achares o texto fenomenal... um pequeno exagero de prima... mas tens razão numa coisa, a ideia que transmite é horrenda, nojenta... mas deve ser dita...

Beijinho grande e aquele abraço!

Cátia disse...

Priminha,

Muitas vezes o plano de fuga nunca deixa de o ser... um plano eternamente adiado! Há sempre a esperança que um dia acabe, que haja uma mudança, há sempre o medo também... Por vezes a unica fuga que estas pessoas têm é mesmo a morte... delas ou deles!

Existem linhas de apoio e associaçoes mas o medo reside sempre naqueles corações...
As pessoas acabam por ser orfãs de amor, mas também da vida porque acabam por ter que a abandonar... ir e partir para longe e não voltar ou partir de uma vez, sem regresso possível...

Quantas vozes estão silenciadas?? Se calhar muitas ate ao nosso lado... se calhar até naqueles pessoas que estão ao nosso lado a sorrir. Tentemos ver... não desviar o olhar!!

O texto está mesmo fenomenal, está muito interessante sim... e não é amor de prima (até poderia ser...) mas sinto que é a realidade. Resolvi agora que este assunto será abordado em breve no ticho também... temos que dar voz a todas estas pessoas.

Beijinhos grandes e abraço mt apertado...

ps - ja andaste de baloiço hoje? Eu ainda nao tive tempo...

Marta disse...

Primota,

Eu defendo a vida, a procura de soluções, de apoios... entendo que se encontre consolo na religião, nos amigos (qd há amigos), na natureza, em nós próprios, no que for... mas entendo tb que o desespero pode atingir proporções tais que a pessoa cegue para a vida, para o que temos de bom, que é pelo menos o podermos respirar...

Ainda bem que decidiste falar deste assunto no Ticho... é preciso falar dele que mais não seja...
As vozes silenciadas são mtas, tenho a certeza que são! Tlv até aqui, a ler este texto, neste momento, possa estar alguém que o tenha vivido, que o esteja a viver...

Desengane-se quem pensa que estas mulheres vivem em becos escuros, na mais degradante miséria, algumas vivem sim, mas outras tem posições de chefia em empresas, cursos superiores, "boas vidas" como diriam mts que as vêem na rua, debaixo do "betume", da máscara...

Beijinho grande e aquele abraço!

ps- dei uma voltinha rápida, e andarei mais logo, espero... :)

Cátia disse...

Primota,

Acho que os nossos comentarios aqui, e todas as palavras já torcadas sobre o assunto, serão um bom inicio para um post no ticho... servirão certamente de inspiração :)

Leio agora os nossos 4 comentarios, e sinto uma revolta muito grande... em mim, em ti, em nós. Mas é bom que pensemos sobre isso e que falemos... não nos deixemos contagiar pelo silencio.

Prima, estava até capaz de te desafiar para algo mais... fazermos algo em concreto... deixarmos a tal inercia... Foi algo que me surgiu... o coração pede... deixo-te o desafio para pensares sobre isso.

Um abraço de corações..

Carracinha linda! disse...

O tema: triste e arrepiante!

O texto: lindo e emocionante!

Quem o escreveu: talentosa e brilhante!

Grande beijo e boa semana!

Ana disse...

Como uma pintura abstracta.

Adorei!

=**

Anita disse...

Linda passando para deixar beijinhos e desejar-te uma semana cheia de bençãos. Em relação ao texto excelente, não vou deixar comentário em relação a isso porque muito já aqui foi dito e escrito.
Que Deus possa iluminar o caminho de cada um de nós são os meus votos.
Fica bem. Fica com Deus.
Volta sempre.
Anita (amor fraternal)

Marta disse...

Cátia,

A revolta é grande sim, mas a verdade é que daqui a pouco alguém nos liga, ou vamos ao cinema, ou fazemos compras, ou simplesmente trabalhamos e acabamos por ficarmo-nos pela vontade... esquecemos, seguimos as nossas vidas...
Gostaria de fazer mais que simplesmente lamentar sim... não sei o quê, nem sequer se terei força e vontade suficiente, mas gostaria de tentar...
Falas de quê? A que me desafias concretamente?
Tlv com companhia eu fique menos acomodada... chuta aí essa ideia!

Beijos.


Carracinha Linda,

Obrigada, foi só um momento de lucidez com as cores do mundo... falemos desses temas tristes e arrepiantes, enfrentemos os monstros...

Boa semana.

Beijos.


Ana,

O texto é uma pintura abstracta, de alguma forma é, nele falo de mil situações, de mil casos, de mil realidades... e acabo por não falar de nada, por não fazer nada...
Obrigada.

Beijos.


Anita,

Bem vinda mais uma vez, obrigada.
Creio que estes assuntos não são falados demais, todos podemos e devemos fazê-lo, seja qual for a nossa posição, as nossas crenças... sem duvida que mais importante que falar é fazer... mas como, quando, onde?
Que Deus nos ilumine sim... mas temos que ser nós a deitar mãos à obra, caso contrário...

Desejo-te tb uma boa semana.

Beijos.

Fontez disse...

imita o rio que não foge mas contorna! ;)
tu és a dear H. e não duas ou mais martinhas...és una, é um ser humano!
contorna...!
flui...!
contorna...!
bjs

Cátia disse...

Martinha... teremos que ver... pode ser que surja alguma coisa... a inercia pode ser combatida de impulso...

fontez, sempre ao lado......... mas isso é normal.... lol.

Beijinhos grandes e um abraço apertado

Morgaine disse...

:)

Estou apenas a respirar fundo.

Porquê?

Porque se calhar não te deste conta da força das palavras que ali escreveste. Mas palpita-me que sim. Basta que seja lido a um ritmo especial, obedecendo ao "grito da alma".

Um beijo porque tocaste.

Um beijo.. porque sim.

Marta disse...

Fontez,

Não sou eu... e por vezes é preciso mesmo fugir!
(desta vez leste na diagonal:) )

Beijos


Cátia,

Veremos se surge alguma ideia ou sugestão de alguém que por aqui passe e leia...

O Fontez... é o Fontez e nós gostamos dele assim né? :)

Beijinho grande e aquele abraço!


Morgaine,

Começo por dizer que gosto de te ver aqui, mas espreitei e não escreveste nada lá no Citadel... :(
Continuas em OZ, espero que bem! :)

Quanto a este texto, foi um grito sim, a força das palavras, depende de quem as lê...
Obrigada pelo teu comentário... tb me tocou...

Sabes, nem sempre me apetece ser tonta... por vezes tenho também necessidade de dizer que este mundo vai mal e que nós nada fazemos... é pena que eu tb ainda não faça nada de útil, tlv um dia... espero fazer um dia...

O porque sim do teu beijo é uma justificação óptima para mim, é das que uso e entendo...

Um beijo tb para ti... e tb pq sim!!!

=^.^= Tarina =^.^= disse...

Pois bem... também preferia nã fugir.. mas ás vezes é o caminho mais fácil...

Escreves de uma maneira espectacular.. que toca... que entra cá dentro...

Mas... não fujas... só se for de algo em que o sentimento trazido seja o do mal... agora se foges por falta de coragem... não o faças.. "a vida é tão rara... a vida não pára não!"

=^.^=

Cátia disse...

Querida,

Venho aqui, venho pé ante pé, dar-te um beijinho grande. Venho limpar a tua maquilhagem... não essa que tens na cara, mas a da alma...

Adorei as ideias que trocamos aqui, adorei esta conversa seria que tivemos... o assunto é do mais feio que existe, não poderia ser pior... é verdade que ontem fui para casa satisfeita, mas sabes, ia para casa e ia a pensar na nossa conversa aqui...

Hoje surgirá um post... será hoje que irei tocar no assunto que aqui referes... Acho que é importante fazê-lo.

Tem um optimo dia linda. Estou aqui sempre contigo.

Beijinho grande e abraço apertado

Marta disse...

Tarina,

Não falava de mim a fugir... embora eu tb fuja... apesar de o fazer cada vez menos!

Beijinhos.


Cátia,

Eu tb gostei bastante do que falámos aqui ontem... pelo menos falámos!

Aguardo então o teu post de hoje!

Tem um bom dia primota!

Beijinho grande e aquele abraço!

Morgaine disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Morgaine disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cátia disse...

Bom dia linda,

Vi o teu comentario no ticho, e ja respondi, gostava que visses...

Deixo lá a sugestão do teu post... espero que as pessoa não finjam que não veem, que não fujam do assunto.

Deixo aqui também a SUGESTÃO do meu post como continuação do teu:
http://cticho.blogspot.com/2007/05/eu-hoje-no-vi.html

É importante que todos leiam, pensem sobre o assunto...

Beijinhos grandes e aquele abraço.

Fontez disse...

apenas dizer...ok, compreendi.

Marta disse...

Cátia,

Já li como sabes. Está excelente!

Beijinhos.


Fontez,

Fico contente.

Beijos.

Pedro Link disse...

Olá
Da forma como escreves subentendo que a tua vida é uma guerra íntima que te leva a escrever coisas como se tivesses uma batalha para vencer.

Tens que aprender a combatê-la!
Um guerreiro também tem derrotas, tem momentos em que não atinge os objectivos, por isso tem de obter forças renovadas fora do seu dia-a-dia, aprender novas técnicas, fazer novas alianças, afastar velhos aliados, compreender que tudo muda e os seus aliados podem já não ser os mesmos e que os seus inimigos talvez já não o sejam, tens de renovar, tens de mudar, tens de ter uma nova atitude perante as adversidades e tens de avançar confiante em ti.

Beijo

Carol disse...

adorei seu texto, muito bem construído, prendeu minha leitura, minha atenção. MUITO BOM!!!!
parabéns!!!

Marta disse...

Pedro link,

Eu não falava de mim... falava de violência, colocava-me na pele de alguém violentado!

As batalhas, existem sim, travo-as o melhor que posso e sei!

beijo


Carol,

Obrigada pela visita e pelas palavras!
Bem vinda!

beijo

Ana disse...

Obrigada Marta ;)

beijinho e bom fim de semana!

Cris disse...

Ao ler o teu texto excepcional e depois os comentários, estava a pensar numa justificação para não lutar, para se deixar ir nesta onda de violência. Talvez por deixar de acreditar nos outros, deixe de acreditar em si também e será isso que a faz achar que tem o que merece e continuar a sofrer nas mãos de um ignóbil? Sei lá o que pode ir na cabeça e na alma desta mulher. Só sei que não é bom, que me revolta e que deixa marcas bem mais fundas que as do corpo, nela e no mundo!

Marta disse...

Sabes Cris, de todos os textos que escrevi, e já foram uns quantos, este é dos textos que mais gosto. Sinto-lhe ainda hoje a carga. Acho agora, à distancia, que lhe coloquei um bocado da minha não compreensão, transferindo-a para ela.
Nunca levei pancada, mas senti na pele o que é sermos ameaçadas, o que é aceitar isso em silêncio e ainda nos sentirmos responsáveis. Sentirmos em nós a culpa. No meu caso talvez a culpa fosse mesmo minha... não sei até hoje. Mas eu fugi. Apesar de ser pouco, demasiado pouco para eu poder entender, foi mais do que eu podia suportar ao lado de alguém...
Não sei como pode alguém permanecer...
Bem... já divaguei...
Beijinho para ti!