segunda-feira, 22 de janeiro de 2007

...

Ouço os teus passos, fecho os olhos tentando apurar os restantes sentidos. O teu perfume é inconfundível... chegas mais perto, os teus braços envolvem a minha cintura e eu fico sem ar. A tua respiração próxima do meu ouvido, a tua voz num sussurro:
“Dança comigo...”
Agarro as tuas mãos cruzadas na minha barriga. Mantenho os olhos fechados e ainda assim consigo ver o contorno dos teus dedos que se entrelaçam nos meus.
Não sei qual é a musica, estou concentrada no ritmo do teu coração nas minhas costas, sei apenas que é suave e me deixa leve.
O teu rosto passa pelo meu cabelo... voltas a sussurrar-me:
“Danças?”
Movimento a cabeça em afirmação. Sabes que eu adoro dançar contigo!
Rodo o meu corpo dentro da argola formada pelos teus braços. Olho-te, estás deslumbrante! Embora não sejas aos olhos dos outros um homem particularmente bonito, sempre te achei lindo... mesmo antes de te encontrar sabia que serias assim...
Os nossos corpos começam a mover-se, sincronizados, como se sempre o tivessem feito, como se lhes fosse tão simples o movimento harmónico como respirar.
Enquanto as tuas mãos se passeiam nas minhas costas, as minhas afagam o teu cabelo. Deito a cabeça no teu ombro, deixo-me conduzir por ti... e murmuro:
“Amo-te...”

12 comentários:

ytzhang0210 disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
cdesag disse...

Isto sim, é pensar como um homem. Ou como mulher. Será que afinal não somos todos assim tão diferentes...?

Fontez disse...

O romantismo tem das suas...e é igual para todo o Ser Humano, ora homens ora mulheres.
Algo me deixa reflexivo, se bem que não é de interesse (acho):
A dear Marta está despejando o sofrimento que ainda tem no seu coração e mente na ficção aqui no blog ou está apenas a recordar? Mas se for recordar não esquecerá tão cedo o seu amor que lhe maltratou...!Ou será que está a por no lugar "dele" (o tal) para ver como reage seu coração da saudade?...
Bem, chama-me maluko, curioso doentio, estúpido...sim chama-me tudo dear Marta...Mas, sorry, é assim que sou, um filósofo doentio!
(...)

Borboleta disse...

:) Muito bem...temos escritora :) contina ;) jinhos ;)

Marta disse...

Cdesag,
Não acho que sejamos muito diferentes, lutamos de maneira diferente, isso sim. Mas queremos mesmo é ser felizes.


Fontez,
A Marta está a despejar o que a magoa e o que a faz feliz, a Marta recorda, a Marta tenta colocar-se no lugar dele(s), a Marta está numa blogoterapia, e está a correr bem.
Neste caso a Marta está a formular um desejo...
A chamar-te qualquer coisa seria... não sei, mas nenhuma das hipóteses que falas :)


Borboleta,
;) Temos louca :), mas ser louca por vezes é bom... continuarei.
Bj

Mina disse...

Realista o suficiente! Gostei de ler a tua ficção que tantas vezes se confunde com a realidade :)
Bjs, boa semana!

Marta disse...

Mina,
Um bom regresso a este cantinho (Portugal).
Boa semana.
bj

wolfhunter disse...

Olá Marta,

Um texto muito bonito...

Bj

W.

bublicious disse...

Gosto de te ler.... escreves mto bem... as tuas palavras levam-nos a viajar! Pela tua vida ou pela tua ficção... mas levam-nos.... e isso ninguém nos tira :)

bjnh grd

Marta disse...

Wolfhunter,
Obrigada.
bj

Bublicious,
A minha vida e a "minha ficção" cruzam-se...
Desejo-te uma boa viagem pelo bom e que não viajes no mau :)
bj

Esteril disse...

"..."
esta deve ter sido a melhor parte no final desse "amo-te" :)))
bons momentos de silêncio e ternura...
bj

Marta disse...

Esteril,
Este foi um sonho, com um momento perfeito...
bj